Cinco perguntas a: Roberto Price, PUC Chile

Roberto Price

“TICAL está crescendo e melhorando ano após ano”, afirma o Diretor de Informática da Pontifícia Universidade Católica do Chile, Roberto Price, que participou das duas últimas edições da Conferência e este ano integra seu Comitê de Programa.

 

 

Olá, Roberto. Conte-nos um pouco sobre você e sobre sua formação.

Olá! Sou licenciado em Física pela Pontifícia Universidade Católica do Chile (PUC). Depois disso fiz Mestrado em Engenharia (Comunicações Digitais) também na PUC e uma pós-graduação em Administração de Empresas na Universidade Adolfo Ibañez.

Desenvolvi toda minha carreira profissional na Universidade Católica do Chile, em diferentes áreas. Durante uma primeira etapa, trabalhei no desenvolvimento de sistemas eletrônicos para aplicativos industriais e de Defesa. Minha função era projetar e fabricar circuitos eletrônicos, tanto analógicos quanto digitais, para o processamento de sinais e controle automático, desenho de sistemas de controle baseados em microprocessadores, desenvolvimento de software anexado (assembler, C, C++), desenvolvimento de sistemas de software com Pascal C, C++ digital de sinais.

Posteriormente, estive a cargo dos sistemas informáticos administrativos da Universidade. A responsabilidade dessa unidade era o desenvolvimento, a manutenção e a operação dos sistemas informáticos de apoio à gestão e das bases de dados institucionais. Depois disso assumi o cargo de Diretor de Informática da UC, unidade que tem a responsabilidade de todos os serviços TIC para a Universidade.

Qual foi seu primeiro contato com as redes avançadas e como você avalia o desenvolvimento delas desde então?

A Universidade Católica não estava incorporada a REUNA até poucos anos atrás.

Como resultado da participação da UC no projeto NLHPC, nos incorporamos às redes avançadas. Não obstante não fazermos parte de REUNA desde o início, claramente vemos uma evolução significativa no aporte de REUNA e das redes avançadas à conectividade, integração e ao trabalho colaborativo entre as universidades e centros científicos do país. Num entorno no qual o tráfego da Internet comercial está cada vez mais congestionado, é fundamental contar com redes acadêmicas que permitam a troca segura e fluida de conteúdos académicos e científicos.

Num contexto como esse, qual é a importância de TICAL para o desenvolvimento das redes e dos profissionais na área das TIC?

 

TICAL é, talvez, a única instancia que congrega os diretores e profissionais latino-americanos de TIC e, como tal, oferece uma grande oportunidade para o compartilhamento de problemáticas e avanços junto a colegas e instituições de desenvolvimento semelhante. A realidade em nosso continente é muito distinta da realidade de outros países mais desenvolvidos. Por exemplos, podemos citar o custo da banda larga ou a disponibilidade de consultores de primeiro nível (e em espanhol). São problemas que outros países não têm e que ainda são muito presentes em nosso meio.

Você participou das duas últimas edições de TICAL e em 2015 integrará o Comitê de Programa com bastante trabalho em desenvolvimento. Que lições você tirou dessas distintas experiências?

Creio que TICAL está crescendo e melhorando ano após ano. Cresce sustentavelmente também a quantidade de apresentações, a variedade de temas e o número de participantes. Estamos estabelecendo contatos e conhecimento pessoal com colegas, o que facilita muito para que as relações posteriores à Conferência sejam permanentes e fluidas. Acredito que TICAL possa se tornar uma referência em nosso continente, não somente a nível de profissionais de TIC, mas também no que diz respeito a ser uma voz com autoridade diante dos diretores de nossas universidades.

Pessoal e profissionalmente, quais são suas expectativas para TICAL2015? E por que os chilenos devem participar?

Creio que este ano teremos uma conferencia de muito bom nível, com temas interessantes, aonde aprofundaremos o desenvolvimento de comunidades e dos grupos de interesse em diversas áreas. Espero que tenhamos muitos participantes. Nós, chilenos, temos um grande desafio, já que tanto em Cancun como em Cartagena das Índias foram organizadas duas conferencias de altíssimo nível, como anfitriões muito acolhedores. Queremos estar à altura do que foi feito nos dois últimos anos.

Com respeito à participação dos chilenos, essa é uma grande oportunidade para todos nós. O fato de que TICAL2015 seja em Viña del Mar facilita a participação de nossos colegas, já que os custos com hospedagem e transporte serão muito menores. Assim, meu convite é para que todos os chilenos reservem esses días para aproveitar a TICAL2015 em sua totalidade.

Fotos

Organizadores TICAL2015:

RedCLARA
REUNA
Edutic

TICAL2015 em Twitter

JoomShaper